"Já faço dieta sem glúten mas não me sinto melhor..."

Por que não melhoro?

Dra. Danielle Kiatkoski - Gastroenterologista

Todos os dias respondemos dúvidas em relação à sintomatologia persistente mesmo com dieta isenta de glúten – DIG. Afinal, por que isso acontece?


Primeira coisa a fazer é revisar toda sua dieta sem glúten. 

 

Você está realmente livre de contaminação cruzada por glúten? Você pode verificar através do Checklist  que preparei para o  "Pequeno Manual de Sobrevivência Celíaca".

(Obtenha o seu exemplar em PDF - Clique aqui )

 

É muito importante checar sempre, mesmo com as marcas que usa habitualmente pois pode estar deixando escapar algum detalhe. 


Tudo certo? Então vamos lá, existem outras possibilidades que devem ser consideradas.

 

Algumas pessoas apresentam uma dificuldade na digestão de alguns carboidratos (alguns laticínios, frutas, vegetais, grãos), os FODMAPs ("Oligo-, di-, monossacarídeos e polióis fermentáveis" - são carboidratos de cadeia curta que são mal absorvidos no intestino delgado).  Essa condição é mais frequente em pessoas com Síndrome do Intestino Irritável, porém pode estar presente em qualquer indivíduo. A dieta com baixo teor de FODMAPs a longo prazo pode alterar a microbiota intestinal, portanto deve ser sempre orientada por nutricionista. Você já verificou se esse é o seu caso?


Quantas vezes vemos celíacos em Dieta Isenta de Glúten correta, porém com abuso de “porcarias”? Nunca haviam provado uma bolacha recheada, mas quando se descobrem celíacos se entregam ao maravilhoso mundo dos alimentos ultraprocessados. Basta estar escrito “Não contem glúten” que vai direto para o carrinho do supermercado. Muitos alimentos industrializados são ricos em sódio, açúcares e gorduras. São cheios de conservantes e aditivos alimentares, substâncias sem valor nutricional, cujo principal objetivo é aumentar a vida útil do alimento, prolongando seu prazo de validade. Essas substâncias podem ser tóxicas e estar relacionadas a hipersensibilidade alimentar, desencadeando sintomas dispépticos. 


São muitas as variáveis! Por isso é tão complexa a resposta para a pergunta inicial.  As causas podem estar sobrepostas e algumas vezes demoramos para resolver essa equação! É fundamental que seja acompanhado por gastroenterologista e nutricionista aptos a verificar se outros fatores estão associados, perpetuando sua sintomatologia.

© 2018 by Raquel Benati   |   riosemgluten@terra.com.br

  • telegram canal riosemgluten
  • Facebook Social Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • App riosemgluten
  • app_vida_sem_gluten