Desordens Relacionadas ao Glúten

Espectro das desordens relacionadas ao glúten:

um consenso sobre nova nomenclatura e classificação

Autores:

Anna Sapone 1 , 2 , Julio C Bai 3 , Carolina Ciacci 4 , Jernej Dolinsek 5 , Peter HR Green 6 , Marios
Hadjivassiliou 7 , Katri Kaukinen 8 , Kamran Rostami 9 , David Sanders S 10 , Michael Schumann 11 ,
Reiner Ullrich 11 , Danilo Villalta 12 , Umberto Volta 13 , Carlo Catassi 1 , 14 e Alessio Fasano 1 *

Resumo: Uma década atrás, a doença celíaca foi considerada extremamente rara fora da Europa e, portanto, foi quase completamente ignorada pelos profissionais de saúde. Em apenas 10 anos, marcos importantes mudaram a doença celíaca da obscuridade para a ribalta popular do mundo. Agora estamos observando um outro fenômeno interessante que está gerando grande confusão entre os profissionais de saúde. O número de indivíduos que abraçam uma dieta sem glúten (GFD) parece muito maior do que o número previsto de pacientes com doença celíaca, alimentando um mercado global de produtos sem glúten que se aproximam do 2,5 bilhões de dólares (EUA), em vendas globais em 2010. Esta tendência é suportada pela noção de que, junto com a doença celíaca, outras condições relacionadas à ingestão de glúten surgiram como preocupações de saúde. Esta revisão sumariza o conhecimento atual sobre as três principais formas de reações alérgicas ao glúten: (alergia ao trigo), autoimune (doença celíaca, dermatite herpetiforme e ataxia do glúten) e, possivelmente, imunomediada (sensibilidade ao glúten), e também destacar patogênicos, clínicos e diferenças epidemiológicas e propor nova nomenclatura e classificação.

Leia o texto completo: clique aqui
 

A versão eletrônica completa e original deste artigo pode ser encontrada online em:

http://www.biomedcentral.com/1741-7015/10/13 

Publicado em 07 de fevereiro de 2012

desordens relacionadas ao glúten

 

NEUROGLUTEN 

MUITO ALÉM DA GASTROENTEROLOGIA

Dr. Hélio Borges* 
Psiquiatra