Orientações sobre a COVID-19

Dra. Danielle de Castro Kiatkoski

 

Celíacos são especialistas em cuidados com contaminação. Nesse momento de pandemia têm muito a ensinar, e finalmente as pessoas vão compreender que os cuidados não são frescura muito menos loucura. Infelizmente a listinha de cuidados aumentou, não basta cuidar da contaminação cruzada. Além do vilão habitual (glúten e seus traços) agora precisamos nos preocupar com a COVID-19 e incorporar novos hábitos. ​

 

A COVID-19 causa uma infecção respiratória que pode se manifestar como um resfriado comum ou até mesmo com Síndrome respiratória aguda grave. Pode cursar com tosse seca, cansaço ou febre.

 

Geralmente os sintomas iniciais são leves, alguns infectados podem ser assintomáticos ou apresentam sintomas muito discretos, em grande parte dos indivíduos a COVID-19 dura o tempo de uma gripe comum e evolui bem. O grande problema é que a transmissão desse vírus é muito rápida e novos casos surgem a todo minuto. A maneira mais efetiva de evitarmos a sobrecarga no sistema de saúde é através do isolamento social.

 

Sabemos que muitos adoecerão, porém, poucos terão a forma grave da doença. Pessoas acima de 60 anos ou que apresentem outras doenças como diabetes, pressão alta, tratamentos que diminuem a imunidade, celíacos que transgridem a dieta podem apresentar maior gravidade e devem redobrar os cuidados.

 

Lembre-se que crianças e adultos jovens podem não apresentar sintomas e mesmo assim podem transmitir o vírus. A melhor forma de evitarmos qualquer doença é termos uma vida saudável: alimentação adequada, sono de qualidade, atividade física regular e boas condições de higiene, não há muito segredo.

 

A dieta isenta de glúten é fundamental e sua maior arma nesse momento. Vemos muitos em desespero por não encontrar álcool gel a venda, porém vemos poucos lavando as mãos com frequência. O mais importante é lavar corretamente as mãos com água e sabão, e, quando não for possível passar álcool gel.

 

Saia de casa se for realmente importante e em horários com menos movimento, evite ambientes fechados e com aglomerações. Caso tenha cabelos compridos prenda-os bem. Mantenha os ambientes bem ventilados e não compartilhe objetos pessoais como copos e talheres.

 

Caso não seja possível realizar seu trabalho em casa lembre-se de lavar as mãos constantemente e evite tocar seu rosto. Higienize com frequência seu ambiente e seu instrumento de trabalho.

 

As orientações sobre o Covid são muito dinâmicas, a Organização Mundial de Saúde recomenda que somente indivíduos infectados usem máscaras, porém, alguns países observaram que há diminuição no contágio quando até mesmo os indivíduos assintomáticos usam.

 

O Ministério da saúde optou por orientar que todos usem, então quando sair de casa não esqueça sua máscara mas tome alguns cuidados: posicione de maneira confortável em seu rosto cobrindo nariz e boca, depois do ajuste só toque nas amarras. Máscaras cirúrgicas devem ser trocadas a cada 4 horas ou sempre que estiverem úmidas, porém como temos pouca oferta, deixe essas máscaras para profissionais de saúde, use somente se estiver contaminado.

 

Máscaras de tecido devem ser duplas e precisam ser trocadas a cada 2 horas. Não pode ser compartilhada com ninguém. Precisam ser lavadas assim que você retornar para sua casa. Ao chegar em casa deixe os sapatos na área externa, retire sua roupa e coloque imediatamente para lavar. Tome um banho e lave inclusive os cabelos.

 

Você já ouviu falar em “Etiqueta Respiratória? 

 

Ao tossir ou espirrar, cubra a boca com o cotovelo flexionado ou lenço descartável (descarte o lenço imediatamente após o uso e lave bem as mãos).

 

Outra dúvida recorrente é em relação a suplementação de vitaminas e minerais, lembre-se que nada substitui a alimentação equilibrada e em muitos casos o uso de vitaminas não traz benefícios, o uso indiscriminado pode, inclusive, trazer consequências graves.

 

A suplementação não está descartada, mas é muito importante que converse com seu médico ou nutricionista e veja se há necessidade de alguma medida adicional como correção da alimentação ou real necessidade de suplementação de vitaminas e minerais.

 

Agora vem a parte mais difícil: nada de beijinhos, abraços ou apertos de mão. Para cumprimentar em época de pandemia basta um sorriso por trás da máscara. ​Quando falamos em Doença Celíaca a melhor maneira de combatermos qualquer doença é a dieta isenta de glúten sem contaminação cruzada.

Dra. Danielle de Castro Kiatkoski
CRM 14254 Pr 
Gastroenterologista do INCIGAP / Curitiba - PR

© 2018 by Raquel Benati   |   riosemgluten@terra.com.br

  • telegram canal riosemgluten
  • Facebook Social Icon
  • Blogger Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • App riosemgluten
  • app_vida_sem_gluten